fbpx

Tipos de Inversores Fotovoltaicos

3 minutos para ler
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×

Um sistema de Energia Solar Fotovoltaico é composto basicamente por 2 elementos, os módulos fotovoltaicos que são as placas que captam a energia do sol e a transforma em energia elétrica que passa pela fiação como corrente contínua até chegar ao segundo elemento que é o inversor de corrente, responsável por transformar a corrente contínua em corrente alternada que é a mesma utilizada em todas as redes elétricas do nosso país.

Atualmente são 3 os tipos de inversores de corrente utilizados em projetos fotovoltaicos no Brasil: inversor Stringmicro inversor e os otimizadores de potência.

O inversor String, também chamado de inversor convencional, é o inversor mais antigo e por consequência aquele que possui maior quantidade de usinas operando.

Quando em funcionamento ele liga uma sequência de placas em série (String) de modo que apenas no final dessa corda a corrente gerada irá passar pelo inversor que tornará essa energia adequada ao consumo.

Nos dias de hoje o String continua interessante para instalações tanto residenciais quanto comerciais, porém, exige um pouco mais de know-how para dizer se é adequado ou não para o local que será instalado, pois ele exige que as placas sejam de mesma potência e tenham a mesma orientação ao sol.

Enquanto isso os micro inversores são os preferidos para quem considera a questão estética parte importante do projeto, pois nesse caso os micro inversores são instalados junto às placas, dispensando a instalação de 1 equipamento robusto como o inversor String no imóvel.

Diferente do inversor convencional onde podemos instalar 200, 500 e até mais placas em um único aparelho, os micro inversores mais potentes se ligam a no máximo quatro placas, pois ele individualiza a produção de cada uma permitindo inclusive que você acompanhe pelo monitoramento o desempenho de cada placa individualmente.

Dessa forma os micro inversores são uma boa opção para locais que não comportam o mesmo alinhamento e direcionamento  das placas e para pessoas que não possuem muito espaço disponível, pois como a produção das placas é individualizada, a sua geração aumenta em torno de 10% comparando com a tecnologia convencional.

Pensando na alta eficiência dos microinversores e no baixo custo do inversor String, surgiu a terceira geração de inversor, que são otimizadores de potência.

É como se fosse um híbrido das duas tecnologias anteriores. Assim como o inversor String, os otimizadores fazem a conversão de corrente de toda a usina em um único aparelho e a cada dois módulos fotovoltaicos é instalado um otimizador de potência que, a exemplo dos micro inversores, individualiza a geração e monitoramento das placas, ou seja, a tecnologia com os otimizadores nos apresenta um sistema tão eficiente quanto o micro inversor e com preço mais próximo do inversor String.

Vale pontuar também que esse tipo de inversor possui sistema de segurança bem elaborado que abaixa a tensão de cada otimizador para 1V em caso de falha na rede elétrica.

Quer saber mais sobre as diferentes tecnologias de inversores e as soluções disponíveis no mercado para energia solar? Entre em contato com a E-sol Brasil que os nossos consultores em eficiência energética irão te auxiliar na melhor solução em energia para a sua necessidade.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×
Posts relacionados

Deixe um comentário

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Filament.io 0 Flares ×